Optar por materiais sustentáveis na a arquitetura e construção já é requisito presente em boa parte dos projetos atuais. Além de contribuírem para a saúde do meio ambiente, eles também são capazes de gerar economia no consumo de água, energia elétrica e até de outros materiais usados em larga escala durante o processo construtivo.

Aqui na Montage, todos os projetos são elaborados já pensando na utilização de alguns desses materiais, que além de promoverem ambientes belos e aconchegantes, são ótimas opções para a melhora na qualidade de vida de seus usuários.

Conheça a seguir 8 opções inovadoras de materiais sustentáveis para a Arquitetura:

Hidrocerâmica – Desenvolvida por estudantes do Instituto de Arquitetura Avançada da Catalunha, na Espanha, a hidrocerâmica é um material inteligente capaz de responder naturalmente às variações climáticas: no frio e na chuva, ele cresce e atua como isolante térmico, e no calor, evapora lentamente para resfriar o ambiente.

O material é composto de bolhas de hidrogel capazes de reter até 400 vezes o seu volume em água, podendo refrescar ambientes em até 6 °C. Os insumos envolvidos são de baixo custo, e estima-se que a economia de gastos com energia elétrica chegue a 28%, já que as placas de hidrocerâmica dispensam qualquer outro sistema de ventilação adicional.

Bambu – Sustentável, disponível em grandes quantidades e quase tão resistente quanto o aço, o bambu é considerado o material de construção perfeito por muitos especialistas. Na arquitetura, o bambu pode ser usado para estruturas, vedação ou cobertura de construções.

Antes de ser aplicado, o bambu precisa passar por um tratamento químico para evitar o apodrecimento e o ataque de insetos. Além disso, o material deve ser bem protegido do sol e da chuva para obter uma boa durabilidade ao longo dos anos. No caso de pilares, por exemplo, o bambu não deve estar em contato direto com a terra – recomenda-se uma distância de ao menos 40 centímetros do solo, através do apoio de uma rocha sobre as sapatas.

Bioplástico – Produzidos a partir de matérias-primas biodegradáveis, os bioplásticos se decompõem na natureza muito mais rápido do que o plástico sintético. Algumas variações incluem a utilização de amido de milho, soja e algas, o que reduz as emissões de dióxido de carbono e utiliza menos energia na hora de produzir o material, que pode substituir o plástico comum na fabricação de incontáveis produtos – como pisos, rodapés, revestimentos e divisórias para ambientes.

Vidro inteligente – Os vidros eletrocrômicos – ou vidros inteligentes – permitem controle a transparência e a passagem de luz nos ambientes, podendo ser aplicados tanto em áreas internas quanto em fachadas. Além disso, o material ainda permite controlar a quantidade de raios ultravioleta e infravermelhos atingindo o ambiente ao longo do dia.

Como resultado, é possível obter grande conforto visual de acordo com a incidência da luz solar no ambiente reduzindo os gastos com ventilação e ar condicionado em mais de 25%.

Tinta biodegradável – Assim como o bioplástico, as tintas biodegradáveis são feitas a partir de materiais orgânicos, naturais e não tóxicos ao meio ambiente. Atualmente, já existem opções de tintas biodegradáveis feitas com proteína de leite, limão, fosfogesso e pigmentos minerais. Junto com as tintas, também existem opções de solventes e diluidores naturais.

Tijolos ecológicos – Os tijolos ecológicos se diferem dos tijolos comuns pelo processo de fabricação. Ao contrário dos tradicionais, que são queimados em um forno e geram gases poluentes, os eco-tijolos são compactados e moldados em uma prensa hidráulica.

Produzido a partir de misturas que geralmente envolvem areia, água, terra e cimento, o tijolo ecológico é enformado em uma prensa hidráulica, gerando um material com excelente resistência, isolamento acústico e térmico e capaz de auxiliar no gasto com argamassa, graças aos furos e encaixes gerados a partir do processo de fabricação na prensa.

No mercado, é fácil encontrar tijolos ecológicos com diferentes dimensões e tipos de encaixe. Além do processo sustentável de cura, algumas opções ainda incorporam resíduos orgânicos (como bagaço de cana) em sua composição.

Waterbox – A Waterbox é uma mini cisterna modular capaz de armazenar até 100 litros de água limpa, de reuso ou da chuva, ideal para áreas urbanas e ambientes internos (como apartamentos). Feita a partir de materiais atóxicos e recicláveis, a instalação é simples e pode ser feita em ambientes como banheiro, lavanderia, cozinha, garagem e quintal.

Ecotelhado branco – O Ecotelhado Branco é um revestimento térmico que graças à sua capacidade de refletir a radiação solar, consegue reduzir drasticamente a temperatura do ambiente interno. O material é produzido a partir de nano-esferas ocas de cerâmica, que são misturadas a resinas e aditivos.

Como resultado, o Ecotelhado Branco é capaz de reduzir em até 35% a temperatura do ambiente, diminuindo o consumo de energia elétrica para com ventiladores e ar condicionado e ainda protegendo contra a proliferação de fungos e bactérias.

A construção sustentável já é uma realidade e, além de todos os benefícios para o meio ambiente, ainda proporciona muito mais economia e saúde ao seu projeto. A Montage sempre teve seus alicerces fundados nos projetos sustentáveis, então se você procura uma construtora na região de Campinas capaz de desenvolver um projeto sustentável e utilizando os materiais citados no texto, venha conhecer a Montage.

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *